segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

sexo sem tabus

Hoje trago a Dr.ª Marta Crawford porque vi uma entrevista dela na Sic mulher no programa "entre nós" que deu ao fim da tarde de Sábado e gostei imenso de a ouvir, já a devem conhecer....
"Sem papas na língua, a psicóloga do programa televisivo AB...Sexo, Marta Crawford, respondeu a todas as nossas questões sobre a sexualidade feminina. Sem esquecer a masculina"
Qual a principal queixa de disfunção de uns e outros?A falta de desejo. E não é uma falta de desejo orgânica. No caso das mulheres, são as chamadas “falsas frígidas”. Conseguem ter orgasmos na masturbação, mas são incapazes de os ter durante o acto sexual. Elas queixam-se que eles só querem sexo, “despejar o saco” e passam logo aos finalmente. As mulheres precisam de estar bem na relação para darem o seu melhor.
Sexo de qualidade, e não estamos a falar de malabarismos, aprende-se ou só vai lá quem nasce ensinado?É um curso para ir tirando ao longo da vida, e pode chegar-se ao doutoramento honoris causa (risos). Depende de um sem número de circunstâncias. Por exemplo, ensinar a criança, rapaz ou rapariga, a brincar desde cedo com os genitais, sem a estigmatizar, para que em adulto o ponto de partida seja o entretenimento. Começa naquela imagem dos dois bebés nus a olharem para a sua pilinha e o seu pipi e a descobrirem a graça das diferenças. É muito importante que os pais criem espaços de intimidade para os filhos. Que não interfiram na sua privacidade. Mas que falem sempre abertamente de tudo. Lá está outra vez a diferença entre sexo e sexualidade. Uma coisa é falar sobre métodos contraceptivos, SIDA ou gravidez, outra explicar o que é um felattio ou um cunnilingus.
O que é que elas mais esperam de um homem e vice-versa?Afecto, companhia, um bom ouvinte… que lhes adivinhem o pensamento. As mulheres precisam muito mais de confirmação diária do sentimento. Os pequenos nadas. Sexualmente, a mulher é muito mais aberta ao diálogo. O maior erro é adiar tudo para as férias, a que se chega exausto.

E a forma como comunicam, a linguagem, é directa ou é do género eufemista, como chamar espaço lúdico a uma sex shop?Há histórias cómicas. Havia uma senhora que tinha muita vergonha de falar em orgasmos e chamava-lhes “aqueles arrepios na espinha”.

Podem ver a entrevista completa em: http://sub.maxima.xl.pt/0506/mc/100.shtml

17 comentários:

Flutuações da mente disse...

Porque não sermos felizes no sexo?!

Nokas disse...

Ela fazia um programa bem interessante!!

Tanita disse...

Gosto muito de a ouvir. Bj**

abspinola disse...

Bom tema estrela...
bjstos

PINTA ROXA disse...

Nunca eu falei sobra "tal" assunto com a minha mãe.
Se eu tinha vergonha de perguntar ela teria ainda mais em responder.
Felizmente os tempos mudaram e o mesmo já não se passou com a Finalista nem agora com a Aprendiz.
Como não tenho TV como as outras pessoas (normais)..lol mas já vi programas dela e acho que está a quebrar muitos tabus...
Beijocas

Marta disse...

Sei que há uns anos ela fazia um programa interessante. Gostava de ouvir as suas teorias ;), mas já há muito que não ouvia falar dela.

Lucas disse...

Que é feito da Ana Caetano, a que "estudou" no Rockfeller?

dina vanessa mercado disse...

a real eye opener... very inspiring... great blog!!! following you now.. hope you could visit my blog too.. kisses!!!

PINTA ROXA disse...

ahh pois eu agendei mas deixei na mesma como rescunho. (sei lá achei que o pc era mais inteligente..lol.)ok eu sei a burra fui eu :(.
A avó gostou??.
Beijocas

Opinante disse...

Ela é espectacular!

E tu também por partilhares isto connosco :D

Maria disse...

Hum, um já a tinha ouvido falar e realmente é uma mulher sem papas na língua, também para esse tipo de assunto têm mesmo que ser. Nada de pudores.

Alessandra disse...

Olá!
Gostaria de te convidar para os sorteio de fevereiro lá no blog:Kit Mococa e Ecobags da KEEP CALM!
Seja bem vinda!Bjos
www.miinteressa.com

Soraia disse...

Arrepios na espinha ahaha

Claro, e eu concordo contigo. E a imagem apenas diz "a causa mais comum". Óbvio que há sempre outras :)

Christian V. Louis disse...

O sexo já devia ter deixado de ser um tabu, mas há gente que não evolui.

A Minha Essência disse...

Há que desmistificar. De facto dá gosto vê-la falar. ;)

Andreia disse...

Eu tb vi um bocadinho da entrevista e gosto de a ouvir e de a ler. Acho muito interessante e podemos aprender muito com ela. Ainda me lembro de ter uns 8/9 anos e de ler algures "orgasmo" e de ter perguntado à minha mãe diante da minha avó o que era. Lol. As 2 iam tendo um ataque cardíaco. Hihihihihihi
beijocas

AvoGI disse...

eu gosto de ver a americana (nao sei se ainda dá o programa dela) mas falava sem papas na lingua usando os termos correctos sem recurso ao gozo
kis :=)